[PT] The Incredible Jessica James: Uma lição de amor próprio

Em várias entrevistas feitas para promover o filme A Incrível Jéssica James, o diretor, James C. Strouse não escondeu que o filme foi escrito para a comediante Jessica Williams. Realmente, a personagem que dá o título ao longa-metragem é o meio perfeito para explorar as qualidades da atriz. Não somente sua atuação tem mérito, como Jessica é uma personagem com a qual o expectador pode se relacionar. E de forma bem-sucedida, o filme é uma leve e divertida exposição do que é a vida amorosa, profissional e familiar de uma jovem mulher nos dias atuais, apesar de em alguns momentos se perder ao tentar retratar demasiados aspectos.

No longa, Jéssica acaba de sair de um relacionamento amoroso e ainda tem sentimentos pelo ex. Já no campo professional, coleciona cartas de rejeição de companhias de teatros, enquanto trabalha em uma ONG, dando aulas de teatro para crianças. Em meio a tudo isso, com a ajuda de uma amiga ela conhece um homem recém-divorciado, Boone (Chris O’Dowd).

Jessica Williams disse em uma entrevista que se sentiu atraída pela possibilidade de contar uma história sobre um momento. E é exatamente isso que o filme consegue fazer. Esta capacidade de transportar para a tela algumas de nossas experiências íntimas e tão atuais é o maior mérito do filme. É fácil se recordar de nossas próprias vidas ao ver a forma como Jessica e Boone lidam com seus relacionamenros amorosos em tempos de Facebook e Instagram. Para mulheres de uma faixa etária similar a da personagem de 25 anos, a história parece retratar uma conhecida ou amiga. Bons exemplos são cenas que poderiam ser tiradas do nosso dia-a-dia, como encontrar um homem no transporte público que se senta de pernas abertas, ou pela forma em que o filme explora os constantes desvaneios da imaginação da personagem. Além disso, em seu relacionamento com Boone, aparecem algumas das vulnerabilidades da confiante Jessica James, o que também propicia a criação de um vínculo entre espectador e protagonista.

Os outros personagens também contribuem para que o longa agrade. As cenas com os alunos de teatro agregam um divertido frescor infantil ao filme e exploram a questão do sucesso profissional. Boone cativa com seu humor e permite que o espectador perceba mais claramente o crescimento de Jessica no momento em que ocorre um conflito entre eles.

Por outro lado, ao tentar abarcar a miríade de experiências e vivências da personagem, o filme deixa muitas pontas soltas. Seria possível expandir mais sobre o relacionamento de Jessica com sua família, ou a história da aluna Shandra (Taliyah Whitaker). No fim, fica a sensação de que algumas das cenas com os alunos ou com a família James são desnecessárias, e servem apenas para passar o tempo.

A Incrível Jéssica James conquista como uma comédia dos nossos tempos. Com o carisma dos personagens e a familiaridade das situações retratadas, o filme nos inspira a olhar para nós mesmos e reconhecer um pouco do que também temos de incrível.